19/12/2016 Ana Maria Cimadon Garcia

TENDÊNCIAS: 1, 2, 3 passou!

As tendências de ecommerce que daqui a pouco já não sãoAs tendências que daqui a pouco já não são.

Que o diga os roteiristas de Ficção Científica de Hollywood. Pensa bem, se imagine escrevendo um filme de ficção científica… o que colocaria que teria de tão diferente do que existe hoje em 100 anos? Carros voadores? Robôs fazendo tarefas domésticas? Casas controladas pela internet. Computadores sendo comandados por pensamento… ops, tudo isso já existe ou está em teste quase pronto pra ser lançado. “A ficção imagina futuros que muitas vezes estão mais próximos do que pensamos. Com a velocidade do desenvolvimento tecnológico, fica cada vez mais difícil imaginar como será daqui 50 ou 100 anos. Os escritores de ficção científica agora precisam se esforçar muito se quiserem nos impressionar com alguma possibilidade distante. Tudo o que sempre imaginamos já é ou está se tornando real.”Alberto Brandão colunista de Ciência e tecnologiaCultura e arte

Ok, mas o que isso tem a ver com o seu negócio de e-commerce? Simples, em nenhum outro ramo as tendências chegam tão rápido. O que era previsto para o próximo ano, acontece no primeiro trimestre.

Não é raro estarmos comprando um serviço de e-commerce em que o vendedor oferece a você e diz, de peito cheio “esse é nosso diferencial” e você coça a testa e diz, “ué, mas acabei de ver esse mesmo recurso no seu concorrente.

Nem podemos colocar a culpa no vendedor. Nesse mundo de e-commerce, o acompanhamento das mudanças acontece na velocidade da luz! Plim! Passou! Ou pior: Vrum! Você sente até aquele vento contra e acaba de ser ultrapassado pelo seu concorrente.

O ANYMARKET tem estado presente nos maiores e melhores eventos voltados ao mercado de e-commerce e busquei reunir aqui algumas das tendências vistas nos últimos meses:

1) O online invadindo o off-line (e não o oposto, como acontecia antes)

  • Dados de comportamento do ambiente on-line sendo usados no off-line. Como assim? Você já deve ter vivido a experiência em que, comprando algum produto em e-commerce, visualizou logo abaixo do item que você está comprando, a indicação “quem comprou esse produto também se interessou por” e aí aparece uma gama de produtos similares que também te interessam! Agora pense em uma loja de sapatos online. Lá também acontece, “quem se interessa por esse sapato, também se interessou por esse e esse”. O que uma grande marca de sapatos brasileiras está fazendo é cruzar os dados da loja on-line com a off-line. Eles usam na off essa informação para agregar na venda, a vendedora já traz os sapatos que podem agradar aquela consumidora. Resultado garantido: aumento de vendas e o consumidor tendo uma boa experiência de compra na loja.
  • Ainda usando o que acontece no online e passando para o off-line, ouvimos o case de uma grande marca que criou um app para seus vendedores. Com o dispositivo na mão, bastava que o vendedor digitasse o CPF da pessoa e o app mostrava tudo o que ela já tinha comprado online, com isso o vendedor sabia exatamente do que o cliente gostava para oferecer a ele.)
  •  Mapa de calor de maior tráfego da loja off-line e itens da loja sendo movimentados estrategicamente para girar produtos de interesse do lojista.
  • Loja física ganhando comissão de loja online: quando a online não tem o produto e a pessoa vai à loja física mais próxima retirar.
  • Atenção, lojas físicas só serão acessadas pela experiência. Quem entregar a melhor experiência é o dono da vez!

2) Conteúdo e atendimento personalizado

  • Marketing de conteúdo: o tão falado inbound marketing, desenhado com base em etapas de funil de vendas, tamanho de clientes, etc; ajuda a segmentar a informação para levar ao cliente ou ao prospect o que ele quer ouvir na hora certa. Mas isso já está evoluindo e a tendência é enviar mensagem direcionada para o gosto pessoal de cada usuário.
  • Robôs (boots) já estão entrando para o passado. O atendimento pessoal é a tendência. Outra tática já sendo aplicada é a compra direto no chat de conversa (botão comprar).
  •  “E-commerce é serviço”. Venda e preço são pré-requisitos. O suporte, o atendimento, a retenção dos clientes é o que importa.

3) Inovação

  • Célula de Inovação: Os players gigantes estão inserindo uma célula de inovação em sua estrutura para estarem preparados para o que vem pela frente nos próximos anos. De aplicativo para vendedores que se integra com estoque a beacons espalhados pelas lojas. Nem o céu é o limite!

 

Mas algumas premissas não saem de moda. E no e-commerce, uma para deixar anotada é:

“Não importa a ferramenta que você tem, 80% é planejamento e 20% é execução”.

E para isso, não tem ficção científica que resolva!

 

Aqui um vídeo que já não é novo, mas ainda é tendência e vale a pena assistir. Espero que curtam:

 

Tem muita informação ligada a esse assunto. Vale a pena conferir!

Tagged: , , , , , , ,

Sobre o autor

Ana Maria Cimadon Garcia Ana Maria Cimadon Garcia é Coordenadora de Marketing na DB1 Global Software. Formada em Comunicação Social com Habilitação em Publicidade e propaganda, tem Pós em Educação Especial e MBA em Gestão Empresarial pela FGV. Ama o que faz!