12/04/2018 Fernanda Peron

O que dizem os formados no DB1 Start

O DB1 Start é um curso gratuito que busca trazer a experiência de fazer um projeto completo de software, através das boas práticas de mercado.

Dentre as 31 pessoas que se formaram no DB1 Start em 2017, Fernanda Peron e Leonardo Franco compartilharam com a gente como foi a experiência de passar pelo curso e, hoje, fazerem parte do time da DB1 Global Software.

São histórias como essas que confirmam o sentido daquilo que fazemos. Confira os depoimentos:

“Pude ver que cada esforço estava valendo a pena”

Conheci o DB1 start através da coordenadora do curso da faculdade que faço e logo me interessei pela iniciativa: aprender conteúdos interessantes e de grande proveito que não aprendemos na faculdade e ainda ter a chance de ser contratada pela empresa.

Soube do início das inscrições pela página da empresa no Facebook, logo me preparei e respondi as questões iniciais no site. Passei também o link pra dois amigos participarem, pois uma oportunidade dessas tem que ser aproveitada!

Fui chamada para a próxima etapa e pensei “opa, pode ser que dê certo!”, além de que meus dois amigos indicados também foram chamados… Passamos por cada etapa com a expectativa ainda maior de começar o curso e quando soubemos que fomos escolhidos dentre 30 participantes de 200 inscritos, foi muito gratificante!

Mas os desafios só estavam começando, desde as primeiras semanas nós já estávamos conhecendo novas ferramentas, conceitos e métodos que são muito importantes pra vida profissional, até hoje sou beneficiada no meio acadêmico e profissional por já ter entrado em contato com eles antes…

O professor ministrava as aulas muito bem e tivemos contato com pessoas que já passaram pela DB1, seja no curso ou trabalhando lá, podendo assim ter uma visão mais ampla de como era a empresa e a profissão. Fomos encorajados a não desistir caso não nos identificássemos com a programação, afinal, temos várias áreas para atuar, como analista, tester, gerente de projetos e etc. Conhecemos um pouco de cada uma durante nosso trajeto. Todos os dias tínhamos café e frutas livres para aproveitarmos (e que café, hein!)

Faltando algumas semanas para o final do curso, tivemos a oportunidade de construir um projeto do zero, fomos separados em equipes e fizemos tanto a parte da análise quanto da codificação, do back-end e do front. Os papéis dentro do projeto foram separados de acordo com as vontades de cada aluno, o que proporcionou uma experiência melhor, para que cada um entrasse mais em contato com o papel que desejava para seu futuro.

Conheci novas pessoas e novas histórias de vida, pessoas que têm objetivos e que, assim como eu, alcançou um deles. Fui selecionada para fazer entrevistas ainda cursando o DB1 Start e, durante esse tempo, pude ver que cada esforço estava valendo a pena, levando em paralelo o curso e fazendo faculdade, em época de provas e tudo mais!

Na semana seguinte ao curso, tive o privilégio de começar a trabalhar na DB1 como desenvolvedora da linguagem que aprendi no curso, onde permaneço até hoje. Vi que todas as “histórias” sobre a empresa eram (e são) verdade, é uma ótima empresa para se trabalhar, que se preocupa com os colaboradores e com seu crescimento, tanto pessoal quanto profissional. O DB1 Start é uma prova disso, trabalhou não somente uma linguagem mas tudo que cerca um ambiente profissional. É uma baita oportunidade!

– Fernanda Peron

“Nunca tinha presenciado tal formato de ensino”

Falar sobre a minha experiência no DB1-START é um pouco complicado, pois foi uma mistura de muitas emoções e conquistas em um pequeno espaço de tempo.

Quando comecei o curso, era apenas um jovem que sabia programar. Estava no primeiro ano de faculdade, nunca havia tido uma experiência profissional, ou seja, não sabia 1% de como uma empresa funcionava.

“Será mais um curso, onde irão passar o conteúdo e quem pretende seguir em frente continua estudando” pensei comigo, mas logo na primeira semana já foi algo diferente disso. Na primeira sexta-feira do curso o professor parou a aula e começou a definir como seria o procedimento do curso junto com os alunos, isso foi uma surpresa enorme, pois nunca tinha presenciado tal formato de ensino.

Com o decorrer do curso fui aprendendo a como não ser só mais uma pessoa que sabe programar, comecei a entender que para se fazer um sistema você tem um universo de outras coisas além do desenvolvimento apenas. Mas acima de tudo isso, aprendi a como ser um profissional.

No período do curso, minha vida deu um salto enorme. Em um mês eu apenas ia pra faculdade, dois meses depois eu estava em uma equipe desenvolvendo um projeto do 0, iniciando uma carreira profissional em uma das melhores empresas que já tive conhecimento.

Nesse período, é claro, houve altos e baixos. O curso abrangeu um conteúdo enorme, apresentando várias áreas. Umas acabei me identificando mais e tendo afinidade, já outras, mais dificuldade. E essa situação me fez olhar para um processo muito importante de amadurecimento: saber o caminho que você pretende percorrer.

No curso, tive minha primeira experiência com uma equipe desenvolvendo um projeto. No começo existia uma certa insegurança sobre como tudo isso seria, mas as coisas foram acontecendo e descobri que essa foi uma das melhores experiencias da minha vida. Aprender como trabalhar em equipe, estudar algo relacionado a isso, não é um aprendizado apenas profissional, isso muda a forma como você enxerga a vida.

No meio do curso recebi a proposta para entrar como estagiário na DB1. Meu primeiro emprego!

Entrei como analista de suporte ( cargo que eu me identifiquei muito e criei uma admiração enorme ), não conhecia muito a área, não sabia como funcionava e nem exatamente oque deveria fazer. Porém, o apoio que tive em meu aprendizado, a forma como minha equipe de trabalho e a DB1, em geral, se dispõem para te ajudar e te fazer crescer é algo que faz seus olhos brilharem e fazer o seu sentimento de “cara eu estou no lugar certo” aumentar cada vez mais.

Depois de, aproximadamente, 5 meses como analista , recebi uma proposta para sair do suporte e ir para o desenvolvimento da unidade. Isso foi uma conquista pessoal enorme. Em menos de 7 meses, a DB1 já me dera 3 oportunidades:

3 meses do melhor ensino que eu já recebi ( Db1-Start)

Estágio como analista de suporte

Cargo de desenvolvedor.

Em menos de 7 meses realizei muitos sonhos, cumpri muitos objetivos. Mas melhor do que isso eu criei novos sonhos e tracei novos objetivos.

Hoje eu posso dizer que, no quesito profissional, eu descobri porque nasci. Devo isso ao Db1-Start. Devo isso à Wagner “Fusca” – professor Db1-Start 2017 (essa pessoa me fez querer novas coisas, enxergar novas coisas, me mostrou que um professor não te passa apenas matéria, mas que te ensina a crescer. Nunca irei conseguir explicar minha total admiração por ele). Devo isso, principalmente à DB1, empresa em que trabalho e que me faz crescer com um sorriso no rosto.

– Leonardo Franco

Inscrições para o DB1 Start

Você já pode participar da seleção para o DB1 Start 2018 estão abertas! As vagas são LIMITADAS e vão até o dia 20/04.

Inscreva-se: https://carreirati.db1.com.br/db1start

 

Saiba mais sobre o DB1 Start

Você leu os depoimentos de quem foi aluno do DB1 Start, mas sabia que também temos um artigo feito pelo Wagner Voltz, o professor do curso?

No artigo, você fica sabendo quais são os assuntos abordados pelo curso, a metodologia e confere os projetos feitos pela turma de 2017. Leia: Construir soluções em vez de só consumi-las: Como o DB1 Start pode ajudar nisto.

Comentários

comentários

Sobre o autor

Fernanda Peron Fernanda Peron é desenvolvedora Java. Trabalha como Full Stack e está no início de sua carreira. Cursa o terceiro ano de Engenharia de Computação e já participou de projetos de iniciação científica e pesquisa. Está sempre em busca de novos conhecimentos, procurando seguir boas práticas e valores tanto no âmbito profissional quanto pessoal.