O que é MVP e como usar no desenvolvimento de software

Quem trabalha com desenvolvimento de software sabe: o prazo é um dos maiores desafios. O cliente tem pressa de solucionar seu problema, e seu projeto deve sair com a qualidade desejada e num prazo justo. Mas, enquanto você trabalha para que o software supere a expectativa, o cliente continua com um problema em mãos.

O MVP existe para ajudar a resolver isso. Aqui, você entenderá o que essa sigla significa e todo o potencial que ela traz para seu trabalho.

Você encontrará:

  • Uma explicação aprofundada do que é MVP
  • Como utilizá-lo para transformar seu software em um foguete
  • Vantagens de implementar o modelo MVP

Boa leitura! Leia mais

Por que existem menos mulheres na área de T.I?

Na infância, meninos são encorajados a encarar desafios e vencer. Enquanto isso, as meninas aprendem mais características ligadas ao cuidado.Isto acaba influenciando diretamente no futuro, fazendo com que cursos na área de TI possuam uma predominância masculina.

Porém, uma coisa é fato: sem a inteligência e o trabalho de mulheres, a tecnologia e a internet como as conhecemos hoje não existiriam. O primeiro algoritmo da história foi desenvolvido por Ada Lovelace. Algumas das mais importantes linguagens de programação foram criadas por mulheres: Irmã Mary Kenneth Keller gerou o BASIC, Grace Hopper é a mãe do COBOL. O protocolo STP, que impede o loop de dados nas redes e na internet, é invenção de Radia Perlman. E a tecnologia usada nos telefones celulares e nas redes wi-fi tem como base o trabalho da inventora e atriz Hedy Lamarr, na época da Segunda Guerra Mundial.

Você, assim como a gente, gostaria de conhecer mais grandes nomes femininos no futuro? Então acompanhe nosso artigo para conhecer os motivos da diminuição de mulheres na área de T.I. Aqui, você descobrirá também o que podemos fazer para reverter esse cenário.

Neste post, você descobrirá:

  • A desmotivação que vem desde a faculdade
  • Qual o lugar da mulher, afinal
  • Como aumentar a representatividade feminina na área de TI
  • Bônus: depoimentos de mulheres que seguiram a paixão por tecnologia

Leia mais

Bora palestrar? 10 motivos para você palestrar no TDC

Palestrar é uma experiência única. Ano passado tive a oportunidade de palestrar pela primeira vez em um evento nacional, o “The Developers Conference”, ou para os íntimos, TDC. Foi uma ótima experiência. Estava ansioso para começar o ano, saber as datas e me preparar para submeter palestras nos eventos de 2018.

O TDC ocorre três vezes ao ano. O primeiro evento em Florianópolis (4 dias), o segundo em São Paulo (5 dias) e o último evento do ano em Porto Alegre (4 dias). É um dos maiores eventos de desenvolvimento de software que engloba quase todas as áreas, além de permitir que qualquer profissional submeta palestras.

Pensando em convidar outras pessoas para ir palestrar esse ano, eu listei 10 motivos para você ir palestrar no TDC, além de ganhar muitos adesivos, canecas e camisetas!! 🙂 Leia mais

Matriz de decisão para sua startup

O que é uma startup? Na visão da Associação Brasileira de Startups:  “Uma empresa de base tecnológica, com um modelo de negócios repetível e escalável, que possui elementos de inovação e trabalha em condições de extrema incerteza.”

Napoleão Bonaparte já dizia que nada é mais difícil do que ser capaz de decidir. Mas por que é tão difícil esse processo decisório? Porque, decidir implica necessariamente em abrir mão de algo em prol de outro. Tem-se um trade-off envolvido, ou seja, um custo de oportunidade ou preço a pagar.

Neste universo de startups e inovação, tem-se um ritmo acelerado de escolhas a serem feitas e dentre as oportunidades, observam-se:

  • Meetups;
  • Rodadas com investidores anjo;
  • Programas de aceleração;
  • Editais de subvenção;
  • Programas internacionais;
  • Bootstrapping;
  • Mentorias;
  • Participação em eventos;
  • Trilhas de inovação;
  • Associações de startups;
  • Dentre outras.

Leia também: Inovação: como utilizar os lados direito e esquerdo do cérebro em prol de novas ações?

Sendo tantas as incertezas e opções para sua startup, defini uma matriz que pode ajudar a caminhar para que sua startup cumpra o Propósito Transformador Massivo. Mas antes, é importante lembrar de um conceito criado por Simon Sinek: o círculo dourado (golden circle). Leia mais

Trabalho Home Office no setor de TI: Dicas de como se preparar para as vagas

Sem tempo de ler agora? Ouça a matéria completa clicando no player abaixo:

Home office no Brasil: uma tendência

As mudanças no cenário político, social e econômico, afetam diretamente o (a) trabalhador (a) e sua relação com o trabalho. O modelo de trabalho home office (trabalho em domicílio) foi criado na década de 70 do último século, e surgiu para flexibilizar as condições de trabalho, e como forma de sobrevivência e adaptação das organizações frente às mudanças globais. Este modelo oportuniza diminuir o tempo de transmissão das informações e minimiza o tempo do processo de trabalho. As condições em que ocorre, evidenciam novas configurações de relações de trabalho, por conseguinte, exigem novas competências dos profissionais.

O modelo de trabalho home office, no que tange a flexibilização do jeito de se trabalhar, acompanhado de uma forma de controle do próprio trabalho, permite relações mais diretas e flexíveis entre os trabalhadores e também romper os limites da distância.

O sociólogo Bauman (2001), em seu livro Modernidade Líquida, menciona:

“Não importa mais onde está quem dá a ordem – a diferença entre ‘próximo’ e ‘distante’… está a ponto de desaparecer” (p. 16).

Quando a distância percorrida numa unidade de tempo passou a depender da tecnologia, de meios artificiais de transportes, os limites à velocidade de movimento existentes conseguiriam ser transgredidos: “apenas o céu era agora o limite, e a modernidade era um esforço continuo, rápido e irrefreável para alcançá-lo” (p. 16).

E como você pode aproveitar a tendência do home office? A seguir, veremos o impacto do modelo home office no mercado de TI para você ficar bem informado. Não trabalha com tecnologia? Fique tranquilo, darei dicas gerais para quem quer se preparar para o home office, independentemente da área de atuação! Leia mais

Construir soluções em vez de só consumi-las: Como DB1 Start pode ajudar nisto

Entre os meses de agosto e outubro, tive a alegria de conduzir um grupo de 32 pessoas incríveis. Elas chegaram até a minha pessoa após um processo severo de seleção e foram selecionadas para fazer parte da segunda turma do DB1 Start.

O que é o DB1 Start

DB1 Start é um curso gratuito com 200h de duração para apaixonados por tecnologia. Ele traz a experiência de fazer um projeto completo de software, através das boas práticas de mercado.

O objetivo do curso é compartilhar práticas utilizadas para a formação de trainees. O curso teve início em 21/08 e término em 01/11. Foram 32 alunos participantes, dentre eles, 31 concluintes e 12 contratados até dezembro.

Estas pessoas chegaram com suas diversas idades e formações. O que as unia era o desejo de participar deste mundo tecnológico tão evolutivo.

Foram 10 semanas muito intensas. O foco era torná-los produtores de tecnologia e não mais apenas consumidores. Resumindo, prazo curto para tantas possibilidades e muitos sonhos envolvidos. Leia mais

Certificação de Engenharia de Requisitos – CPRE-FL

Analisando o mercado de trabalho de alguns anos atrás, o diferencial de um profissional era a graduação. Alguns anos depois passou a ser a pós graduação. Atualmente a maioria dos profissionais possui uma graduação e uma ou mais pós graduações. Sabendo disso, é preciso ter algo a mais em seu currículo para se destacar. Pode parecer clichê, mas é assim que tem sido o mercado de TI no Brasil. E assim, surgem as certificações na nossa área. E principalmente as certificações reconhecidas internacionalmente.

Parafraseando Marcelo Neves, que é um dos nome mais respeitados no Brasil na área de Análise de Negócios e Engenharia de Requisitos, a certificação CPRE-FL é uma  certificação profissional que com ela os profissionais conseguem a tão desejada visibilidade que faz com que as empresas o disputem. Isso é especialmente crítico na atual situação de crise do país onde cada oportunidade é disputada a tapa. A certificação CPRE do IREB é o caminho mais curto e mais seguro pra se ter o reconhecimento.

Existem muitas certificações na área da programação, mas poucas na área de engenharia de requisitos e análise de negócios. Nós analistas de negócios aqui da DB1, para aumentar cada vez mais a qualidade da documentação de nossos projetos, temos optado por tirar a certificação CPRE-FL. Pois o estudo para certificação engloba temas da engenharia de software que vão desde métodos de elicitação de requisitos, documentação, validação, negociação até o gerenciamento dos requisitos. Leia mais

Certificação CTFL – Um esforço que vale a pena

Conquistar a certificação CTFL é uma meta desafiadora por si só. Pessoalmente, 2017 foi um ano de grandes desafios: me tornei mãe. Mesmo ainda desejando muito essa conquista profissional, pensei em desistir por achar que seria impossível estudar diante da minha nova rotina. Porém, me incomodava saber que não tinha atingido essa meta, então resolvi buscar a certificação!

Neste artigo, pretendo mostrar que é possível estudar e conquistar também sua certificação, mesmo tendo pouco tempo disponível. Contarei um pouco sobre como foram meus estudos para a certificação CTFL.

Você encontrará:

  • O que é a Certificação CTFL
  • Quais os benefícios dessa certificação
  • Materiais e dicas de estudo

Confira! Leia mais

DB1 Global Software fecha 2017 com crescimento de 28% e faturamento de R$ 24 milhões

Ilson Rezende, CEO da DB1 Global Software

O ano de 2017 termina com motivos para a DB1 Global Software comemorar: nos resultados parciais até outubro, crescemos 28% em relação ao ano de 2016.

Crescemos também em número de colaboradores: um total de 25%, o que alavancou o número de projetos em 29%!

Esses números fazem parte da estratégia para 2032, com o objetivo de estarmos entre os 10 maiores grupos de TI do país. Leia mais

INFOGRÁFICO: Engenharia social – O que é e como evitar ser enganado

A engenharia social é uma das maiores e mais antigas ameaças à segurança da informação. Você sabe como ela funciona e o que fazer para se prevenir desses ataques?

Acredite: até as coisas mais simples como um pen-drive desconhecido que você encontra podem ter consequências gravíssimas para seu sistema. Não é paranoia: o baiting é uma das técnicas de engenharia social mais praticadas!

Para te ajudar a proteger seus dados, criei um infográfico completo com a definição dos principais tipos de ataques da engenharia social e recomendações que valem para dados pessoais e empresariais. Confira:

Infográfico -Engenharia Social

Espero que este infográfico ajude pessoas e empresas a protegerem seus dados.

Você tem alguma dúvida ou dica sobre o assunto? Deixe seu comentário! 🙂