skip to Main Content
Estratégia: Eu Falo Ou Aplico?

Estratégia: eu falo ou aplico?

É comum ouvirmos todos os dias repetidas vezes a palavra estratégia, mas sempre que a colocamos em uma frase, é realmente aquilo que queremos dizer?

Antes de continuar, convido você a parar e avaliar sobre o que é ser estratégico e como podemos saber onde e quando estamos sendo, pois, o objetivo é que ao final desta leitura você saiba qual a aplicação prática desse termo no contexto do dia a dia.

Estratégia é uma das palavras mais usadas no mundo empresarial, essa é uma palavra da qual deriva muitas interpretações, e em meio a elas podemos nos confundir. Por isso seguiremos apresentando algumas de suas definições.

Definições de estratégia

Para o Dicionário Google, estratégia é:

“Parte da arte militar que trata das operações e movimentos de um exército, até chegar, em condições vantajosas, à presença do inimigo.”.

Em um exemplo prático, a estratégia em uma guerra define qual o posicionamento das tropas, quais territórios são importantes dominar, com quais exércitos faz sentido ser aliado ou oponente dentre muitos outros objetivos.

Nessa mesma situação, definir a quantidade de soldados, se o ataque será surpresa, pelo ar, terra ou mar, quais armas serão utilizadas, como as tropas devem se movimentar, e etc, são táticas, um desdobramento da estratégia para que os territórios sejam dominados e os posicionamentos sejam firmados.

Muito me perguntei se uma tática não seria uma estratégia de uma estratégia maior. Por exemplo, um posicionamento de uma tropa na batalha e sua movimentação, também poderia estar relacionado à uma estratégia de uma batalha, sendo que diante de uma visão holística, poderíamos dizer que a soma das estratégias das batalhas equivale à estratégia da guerra.

Para entender sobre esses conceitos, realizei estudos sobre estratégias de guerrilhas, estratégias empresariais e estratégias de jogos de xadrez. Por isso vamos avaliar diferenças entre estratégias e táticas.

Estratégia ou Tática?

Uma estratégia é uma direção, posicionamento, características organizacionais, isto é, a Ford fabrica e vende carros e a Ferrari também. O que faz delas empresas tão diferentes? A resposta é: a Estratégia!

O público, a qualidade, o valor, o preço e muitos outros fatores são diferentes, e tudo isso está relacionado ao posicionamento de mercado de ambas as marcas, e esses são atributos estratégicos de cada uma delas.

Quando desdobramos a estratégia é notável o quanto o processo produtivo, a forma de vendas e marketing são diferentes. Essas são táticas que se desdobram a partir de uma estratégia empresarial.

Em uma reunião de fechamento de um negócio, somos estratégicos ou táticos? Do meu ponto de vista os dois! Veja:

Tomando por base esse estudo de caso, a estratégia é o fechamento do negócio dentro das restrições de valores e conseguindo aqueles outros pontos que são relevantes para que a compra faça sentido.

A tática nos baliza sobre quais serão as etapas da reunião, do que vamos abrir mão, o que pode ser negociado em troca do fechamento, se a reunião será presencial ou remota, se for presencial como se posicionar na sala de reunião, quem estará nessa reunião e etc.

Outra percepção que vale ser colocada em discussão, é que ser estratégico nem sempre faz com que sejamos promissores. Embora empresas tenham estratégias muito bem definidas, elas também se descontinuam, e muitas vezes, em uma visão de longo prazo entender em qual momento a empresa está também embasa decisões estratégicas sobre o posicionamento da marca e a continuidade, pois isso pode levar a tracionar ou congelar as vendas e produção.

Como podemos aferir o quanto estamos atuando estrategicamente no dia a dia?

Como saber se estou sendo estratégico?

Tudo está interligado. Se eu atuo em um cargo operacional, e nele minhas ações e execução estão de acordo com a tática estabelecida, e por sua vez essa tática está aderente à estratégia empresarial, pode-se dizer que estamos todos sendo estratégicos, embora não é responsabilidade de todos definir tal estratégia.

Não há como dizer o que é mais importante no contexto geral, pois em uma estratégia bem definida de posicionamento de mercado, em quem uma operação não representa essa estratégia, esse posicionamento não é sustentável. Ou mesmo se as táticas estabelecidas não foram em razão de atingir a estratégia, os esforços não fazem sentido.

Por isso é tão importante que uma comunicação flua entre os níveis de gestão para que todos saibam qual é sua função dentro dos objetivos maiores da organização. Quanto maior a quantidade de pessoas, mais a empresa tende a desenvolver processos, monitoramento e organização para garantir que todos os esforços da empresa estejam direcionados ao alcance do mesmo objetivo.

Portanto, em sua empresa, o quanto você conhece a estratégia?

  • Qual o posicionamento de mercado que sua empresa busca?
  • Qual o propósito, missão, visão e valores da empresa em que trabalha?
  • Qual a cultura da sua empresa?
  • Quais é seu papel na estratégia da empresa?

Com isso, para tirar a prova real se está sendo estratégico, pergunte-se: conheço a estratégia da minha organização? As ações que realizo no meu contexto de trabalho tem sido para atingir tal estratégia? E tenho conseguido ajudar a empresa a alcançá-la?

Se as respostas forem sim, podemos concluir que está contribuindo para que a empresa caminhe em direção à sua estratégia. Perceber as pessoas que não estão direcionando seus esforços para os mesmos objetivos e realizar os devidos ajustes também contribui para a assertividade do atingimento dos objetivos estratégicos e possivelmente aumentando a competitividade e longevidade da empresa que é representada por você.

 

Dialison Veroneze

Diálison Aparecido Veroneze é Gerente de Projetos na DB1 Global Software. É Bacharel em Contabilidade, Especialista em Controladoria e Contabilidade e Técnico em desenvolvimento de Software. Atuou como Diretor, Diretor Operacional, Gerente de Fábrica, Gerente de Implantação, Gerente de Projetos e Implantador dos sistemas de Gestão Empresarial. Trabalhou com projetos em seguimentos como: Distribuidoras, E-commerces, Indústrias, Construtoras, Órgãos sem fins lucrativos e Prestadoras de Serviços.

Este post tem 0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top