Gratidão: um degrau na escalada para a resiliência.

No texto de hoje vamos falar sobre gratidão e porque ela é importante no processo de construção da resiliência. A palavra gratidão vem dos termos graça, dádiva e presente. Então, podemos considerar que a emoção de ser grato vem da percepção de como somos presenteados com coisas boas durante os nossos dias.

Gratidão é a capacidade que temos de reconhecer e agradecer por uma ação ou benefício recebido ou conquistado.

A gratidão está diretamente relacionada à inclinação a apreciar e saborear eventos e experiências do dia a dia e valorizá-los! Nesse sentido, ao invés de reclamarmos das situações ruins que aconteceram ao longo do dia, vamos agradecer pelas coisas boas. Esse movimento de prestar atenção no que pode nos tornar gratos é a prática da atenção positiva que está diretamente ligada à construção do nosso bem-estar e na prevenção de doenças emocionais como ansiedade e depressão.

Assim, a prática da gratidão tem grande impacto na nossa saúde emocional, física e nosso bem-estar, por favorecer a gentileza e o altruísmo com outros e com nós mesmo. Você já foi gentil com você hoje? Leia mais

Dicas para busca, preparação, escrita e execução de Editais de Inovação para empresas de TIC

Meu primeiro contato com Editais de Inovação aconteceu em abril de 2013, quando um consultor credenciado do SEBRAE Maringá e eu fomos para o Rio de Janeiro, para participarmos de uma oficina de preparação para Editais de Inovação para empresas de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação).

Lembro-me que o ministrante abordou características de Editais da FINEP, de Cooperação nacional e internacional e tratou de algumas linhas de recursos do BNDES. Foi uma capacitação muito produtiva, que resultou em uma mobilização das entidades do setor de TIC de Maringá e Região, em termos de trabalho contínuo de oficinas para captação de recursos de subvenção econômica e financeira. Os resultados foram bastante expressivos, uma vez que, na época, cerca de cinco empresas participantes desse Programa foram ganhadoras do Edital Tecnova, da FINEP.

De lá para cá, passamos por alguns Editais: Tecnova, SESI SENAI, SEBRAE de Inovação, SEBRAETEC, SIBRATECSHOP, ISS, FINEP Startup, Inovapps, Startup Chile, EMBRAPII, dentre outros e, diante dos desafios e oportunidades, resolvi trazer algumas dicas para vocês aproveitarem com muito êxito essas fontes de recursos subsidiados por órgãos de fomento à Inovação. Leia mais

Lightning Talk – Micro serviços, por onde começar?

A Arquitetura de Micro Serviços traz uma distribuição em prol da performance e qualidade de software. A independência e autonomia da criação, execução e distribuição dessa arquitetura são algumas vantagens de aplicar esse componente.

Por onde começar para aplicar Micro Serviços?

Para iniciar seus estudos sobre computação paralela, existem dois itens básicos: Threads e Message Passing Interface (MPI).

Henrique Silverio explica ambos em seu Lightning Talk!

Veja nesse Lightning Talk:

  • O que são Threads e MPI
  • Como estão sendo utilizados na DB1
  • O caminho mais fácil para fazer uma migração
  • O que evitar na aplicação de Micro Serviços

Confira tudo em de 15 minutos

O papel de UX (User Experience) em projetos de software

Quando o termo User Experience (em português, Experiência do Usuário) foi cunhado por Don Norman, no início dos anos 90, podíamos contar nos dedos as empresas que realmente pensavam em entregar produtos alinhados às expectativas dos usuários. Por muitos e muitos anos, o que era levado em conta na hora de entregar um produto era simplesmente a capacidade de algo funcionar e ponto final. Não havia muito tempo (ou recurso) disponível para tentar entender quais eram os problemas reais dos usuários e o que eles realmente queriam. Se considerarmos que a maioria dos softwares produzidos na época eram voltados às empresas, fica ainda mais fácil de entender porque o usuário era jogado pra escanteio: o produto tinha que se adequar ao que o cliente quer, afinal, é era ele quem estava pagando. 

Entretanto, no “mundo dos usuários”, a tecnologia era vista como vilã e a “arte” de entendê-la era restrita a poucos. Isso foi, um grande problema para os usuários, que se sentiam intimidados por esse novo cenário. Isso demandava um alto tempo de treinamento e utilização do produto, o que era custoso demais para todos os envolvidos no processo: os desenvolvedores.  Leia mais

Um universo de soluções com Design Patterns (Padroes de Projeto)

Os Design Patterns (Padrões de Projeto) existem para deixar o código mais eficiente, além de agilizar e facilitar sua rotina.

Ainda assim, muita gente desconhece esse universo de soluções!

Design Patterns não são voltados a algumas linguagens específicas, mas sim às linguagens que possuem programação orientada a objetos (POO), como por exemplo:

  • Java;
  • .NET;
  • Delphi.

Para que você domine os Padrões de Projeto, criamos um Ciclo de Capacitação ministrado por André Celestino, Desenvolvedor Delphi especializado em Engenharia e Arquitetura de Software.

São 4 vídeos para desmistificar os Design Patterns e indicar os melhores recursos para aprender cada padrão! Leia mais

Resiliência: é possível desenvolvê-la?

No texto anterior desta série foi apresentado o que é resiliência! Retomando, resiliência é a capacidade que nós temos de lidar bem com as adversidades, tirar proveito delas e não adoecer. Com essa definição concluímos que ser resiliente é uma habilidade importante para que possamos viver melhor. Pensando assim é provável que venha o questionamento: é possível desenvolver resiliência?

Habilidades para desenvolver resiliência

Para ser resiliente é preciso desenvolver uma série de habilidades emocionais e sociais como: Leia mais

Como tirar a certificação CTAL-TA, por Narayane Teixeira

Em 2016, eu adquiri a certificação CTFL, e foi um divisor de águas na minha carreira. Ela me proporcionou novos conhecimentos na área de testes, e permitiu melhorar minha forma de trabalho: desde usar as terminologias corretas, até aplicar novas técnicas de teste no projeto em que trabalho.

E buscando ainda mais conhecimento nesta área, resolvi iniciar o estudos para as provas de nível avançado (CTAL) do BSTQB.

O que é CTAL?

A CTAL é a sigla para Certified Tester Advanced Level. Trata-se de um conjunto de certificações de nível avançado, voltado para pessoas que possuam experiência em teste de software. A CTAL contempla as seguintes certificações:

CTAL–TA: Test Analyst

CTAL–TM: Test Manager

CTAL–TTA: Technical Test Analyst Leia mais

O que dizem os formados no DB1 Start

O DB1 Start é um curso gratuito que busca trazer a experiência de fazer um projeto completo de software, através das boas práticas de mercado.

Dentre as 31 pessoas que se formaram no DB1 Start em 2017, Fernanda Peron e Leonardo Franco compartilharam com a gente como foi a experiência de passar pelo curso e, hoje, fazerem parte do time da DB1 Global Software.

São histórias como essas que confirmam o sentido daquilo que fazemos. Confira os depoimentos: Leia mais

Quanto seu cliente confia em você? O indicador de NPS pode responder!

Sempre que há uma interação entre duas partes uma expectativa é criada. Em uma prestação de serviço isso se torna mais evidente e muitas variáveis começam a interferir neste cenário. Assim a necessidade de um feedback se torna evidente, pois essa expectativa criada pode ser atendida, mas com que qualidade? Qual a impressão seus fornecedores passam a você? E qual impressão sua empresa passa a seus clientes?

Uma relação de confiança deve ser estabelecida quando um serviço é prestado e isso deve abranger muito mais do que a satisfação apenas com a entrega realizada. Quando nós confiamos em uma marca a ponto de indicá-la a um amigo, teremos essa marca associada à nossa própria imagem para a pessoa que recebeu a indicação, e ninguém quer “sujar” seu nome com uma indicação ruim, não é mesmo?

É neste âmbito que o indicador de NPS aparece, pois com ele conseguimos medir a “taxa de indicação” de nossa marca pelos nossos clientes, ou seja, o quanto nossos clientes confiam em nossa marca a ponto de indicarem-na a amigos e outras pessoas de seu círculo social e profissional. Leia mais

Lightning Talk – Cornucopia: Desenvolvimento Seguro

Você já ouviu falar de Cornucopia? Quando se trata de segurança da informação, todos precisam se unir para encontrar possíveis falhas de segurança e prevenir ataques. É por isso que Emerson Castilho e Wagner Voltz apresentaram um Lightning Talk, palestra de 15 minutos, para esclarecer tudo sobre o agile game desenvolvido pela OWASP (Open Web Application Security Project).

O jogo ajuda no desenvolvimento seguro de software, mas todos podem participar, independente da sua função! Afinal, a segurança não é um dever só dos desenvolvedores e da área da Qualidade.

Veja nesse Lightning Talk:

  • O que é Cornucopia
  • Como o jogo funciona
  • O que a OWASP Cornucopia faz e como você pode começar a jogar

Já podemos ir adiantando: não é poker, não é truco e não é demorado!

Confira tudo em menos de 15 minutos

Quer saber mais sobre o agile game?

Aqui no Blog DB1, temos também um artigo feito por Wagner Voltz: OWASP Cornucopia – um agile game para identificar potenciais falhas de segurança em softwares. Leitura indispensável para quem está interessado em desenvolvimento seguro!