Quanto vai custar e quando vai ficar pronto meu sistema?

Atualmente trabalho como Gerente de Projetos aqui na DB1 Global Software e gostaria de falar um pouco sobre uma situação que ocorre no meu dia a dia, pois penso que pode ajudar muitas pessoas. A situação é a seguinte:

A dificuldade do cliente em detalhar o que precisa

Quando um cliente necessita de uma solução sistêmica para resolver um determinado problema, um dos pontos que ele pensa é: “Quem vai me ajudar no desenvolvimento dessa solução? ”. Se ele possui uma equipe de TI interna e disponível, naturalmente repassará tal demanda para esse time. Caso contrário, ele vai ao mercado para contratar uma empresa de software para ajudá-lo e aí que mora o grande problema. Muitas vezes, o cliente não sabe como pedir/solicitar essa contratação e no geral, o instinto é enviar um documento “pobre/macro” a várias fábricas, pedir um orçamento de custo e prazo, e fazer uma comparação simplista para eleger qual empresa irá executar a demanda.

O que a fábrica deve fazer

Baseado nessa situação cotidiana, qual deve ser a postura de uma fábrica de software responsável? Ler o documento, fazer uma reunião de 10 minutos com o cliente e estimar por ordem de grandeza e enviar ao cliente? Sinceramente, não vejo que seja o melhor caminho. Pode até funcionar para sistemas pequenos, mas ainda assim não acho uma boa ideia. E por quê? Leia mais

Dicas para uma boa Análise de Requisitos

Uma boa Análise de Requisitos pode fazer toda a diferença em um projeto de
software, e por ser um documento muito específico que demanda conhecimento tanto
técnico quanto de negócio, precisa ser muito bem desenhado. Esse é um ponto crucial
para que no final do processo o software seja rápido, eficiente e apresente uma alta
performance. Temos também um artigo focado na importância e diferencial da Análise de requisitos, veja aqui.

Se a empresa contratante do serviço de desenvolvimento de software possuir um
analista especializado, um desenvolvedor ou um profissional técnico que possa se
envolver no projeto, ele pode construir o documento. Porém, se esse não for o caso, o
melhor a fazer é também contratar esse serviço de maneira terceirizada.

Os 3 pontos-chaves  para uma boa Análise de Requisitos

  1.  Entender a importância do documento e construí-lo com a maior quantidade de informações possível;
  2.  Promover o trabalho em conjunto com a empresa desenvolvedora (que pode analisar e re-analisar até obter um produto final completo);
  3.  Saber que o levantamento de informações e a escrita da análise levam em média oito horas de trabalho, podendo chegar a quatrocentas, esse é um dado baseado em históricos de análises desenvolvidas pela DB1.

Leia mais

Análise de requisitos: qual a sua importância e diferencial?

Se você já participou de algum projeto de desenvolvimento de software ou já contratou serviços de fábrica de software, pode ter esbarrado com o termo “Análise de Requisitos”. E o que para muitos é algo obscuro, confuso e até sem relevância, tem uma importância extrema em vários aspectos.

Mas afinal, o que é Análise de Requisitos?

A Análise de Requisitos é o primeiro passo do processo de desenvolvimento de um projeto de software e que tem por produto de trabalho documentos que contemplam detalhes minuciosos do software. Estes documentos norteiam a visão e o escopo do projeto, dando rumos do que é e porque será desenvolvido.

Com a Análise de Requisitos, tanto a equipe da fábrica de software quanto o cliente conseguem ver com clareza os seguintes pontos:

  • O que vai ser criado;
  • Como será criado;
  • Para que será criado;
  • Quanto tempo irá levar;
  • Visualizar como o sistema vai ficar antes mesmo do início do desenvolvimento (e com a utilização de protótipos interativos);
  • Estimar o investimento financeiro total necessário. Leia mais

Como gerenciar o tempo de forma eficaz e ser uma pessoa de alta performance?

Hoje em dia, é comum as pessoas dizerem que não têm tempo, alguns de vocês talvez busquem ter mais tempo, outros visam aproveitar melhor o tempo, pode ser que seu objetivo seja fazer mais coisas em menos tempo ou ainda escolher como usar melhor o tempo. Mas afinal, o que é tempo?

Eu, particularmente, gosto da definição de Jaime Wagner que diz: “Tempo não é dinheiro, tempo é vida. E vida é muito mais do que dinheiro.” Desde quando passei a lidar com essa concepção de tempo finito de vida, que vai do nascimento até a morte, passei a pensar em estratégias de como administrar melhor o tempo, visto que nós temos que viver nestas vinte e quatro horas do dia. “Delas nós devemos extrair riqueza, prazer, dinheiro, satisfação, respeito e evolução da nossa alma. O seu uso correto, o seu uso mais eficaz, é questão de máxima urgência. Tudo depende disso.” (Arnold Bennett).

Mas no que consiste administrar o tempo?

Leia mais