31/01/2018 Nôga Simões

Matriz de decisão para sua startup

O que é uma startup? Na visão da Associação Brasileira de Startups:  “Uma empresa de base tecnológica, com um modelo de negócios repetível e escalável, que possui elementos de inovação e trabalha em condições de extrema incerteza.”

Napoleão Bonaparte já dizia que nada é mais difícil do que ser capaz de decidir. Mas por que é tão difícil esse processo decisório? Porque, decidir implica necessariamente em abrir mão de algo em prol de outro. Tem-se um trade-off envolvido, ou seja, um custo de oportunidade ou preço a pagar.

Neste universo de startups e inovação, tem-se um ritmo acelerado de escolhas a serem feitas e dentre as oportunidades, observam-se:

  • Meetups;
  • Rodadas com investidores anjo;
  • Programas de aceleração;
  • Editais de subvenção;
  • Programas internacionais;
  • Bootstrapping;
  • Mentorias;
  • Participação em eventos;
  • Trilhas de inovação;
  • Associações de startups;
  • Dentre outras.

Leia também: Inovação: como utilizar os lados direito e esquerdo do cérebro em prol de novas ações?

Sendo tantas as incertezas e opções para sua startup, defini uma matriz que pode ajudar a caminhar para que sua startup cumpra o Propósito Transformador Massivo. Mas antes, é importante lembrar de um conceito criado por Simon Sinek: o círculo dourado (golden circle).

O que é o Círculo Dourado e como ele ajuda sua startup

O círculo dourado funciona em três níveis: Why, How e What (Por que você faz, como você faz e o que você faz).

Imagine se a Apple focasse no “o quê”: “Nós fazemos ótimos computadores. Eles são lindamente projetados, fáceis de usar, possuem interface amigável. Quer comprar um?”

A resposta poderia ser certamente um não.

Mas ao focar no porquê, é assim que a Apple atualmente se comunica: “Tudo o que fazemos, nós acreditamos em desafiar o status quo. Nós acreditamos em pensar de forma diferente. A forma que desafiamos o status quo é fazer nossos produtos bem projetados, fáceis de usar e interface amigável. Acabamos fazendo excelentes computadores. Quer comprar um?”

Quando descobrimos o porquê, os o quês e comos se tornam mais fáceis e, então, decidir entre participar de um meetup, ir para rua validar seu produto, desenvolver novas funcionalidades no seu aplicativo, participar de um programa de aceleração, dentre outras escolhas, se tornam decisões mais leves, pois o propósito (“o porquê”) leva ao caminho mais assertivo (“o quê”).

Como utilizar a matriz de decisão para tomar decisões assertivas na sua startup

  1.  Escreva de forma clara o problema.
  2.  Relacione as alternativas de solução do problema a ser analisadas.
  3.  Escolha os critérios para avaliação das alternativas, colocando-os em ordem de importância. Atribua peso a cada um deles. Os pesos devem ser dados de acordo com o problema. Exemplo: 1 a 5 (os mais relevantes em relação ao problema recebem peso 5 e os de menor importância, peso 1). Um critério deve ser algo que seja relevante para você. Os pesos dizem qual critério é mais importante que o outro.
  4.  Construa a matriz colocando as alternativas e os critérios em eixos diferentes.
  5.  Compare cada alternativa com cada um dos critérios, dando-lhe uma nota na proporção que atenda bem ou mal a cada critério. Para facilitar, faça a seguinte pergunta: “A alternativa 1 vai me dar uma boa…” (em relação aos critérios) e dê a nota de 1 a 5 (caso a alternativa represente uma boa solução, dê nota alta; caso seja uma solução ruim, dê nota baixa).
  6.  Multiplique a nota de cada alternativa pelo peso de cada critério e obtenha a nota ponderada.
  7.  Some, para cada alternativa, todas as notas ponderadas obtidas.
  8.  Verifique qual alternativa obteve o maior número de pontos: esta é a vencedora.

O exemplo abaixo ilustra como funciona a matriz de decisão para contratação de um software por exemplo, sendo que a alternativa 3 seria a mais benéfica nesse caso:

Exemplo de matriz de decisão para startup

Assim, na hora de montar sua matriz de decisão e definir os critérios, foque no propósito da sua startup, no porquê ela existe. Pense na jornada da dor ao valor, pois inovar é entregar valor com menos calor (Juan Bernabó). Busque uma gestão pragmática que entregue resultados significativos.

E lembre-se sempre: “Os empreendedores falham, em média, 3,8 vezes antes do sucesso final. O que separa os bem-sucedidos dos outros é a persistência” (Lisa M. Amos).

 

Este artigo foi postado originalmente no E-Commerce Brasil.

Comentários

comentários

Sobre o autor

Nôga Simões Nôga Simões é Coordenadora de Inovação e Relacionamento com Marketplaces na DB1 Global Software, empresa desenvolvedora do ANYMARKET, plataforma de integração e operação com Marketplaces. Simões é Mestranda em Administração de Empresas com ênfase em Marketing, pela Universidade Estadual de Maringá. MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas.