skip to Main Content
Consultoria De Software Para Techs: Como Encontrar Uma Empresa Que Foque No Seu Negócio De Tecnologia?

Consultoria de Software para Techs: como encontrar uma empresa que foque no seu negócio de tecnologia?

A chamada consultoria de software para techs é uma forma de desenvolver soluções focadas no foco do cliente de fintechs, health techs e insurtechs. Todas essas startups que partilham do sufixo “tech” têm mais em comum do que a tecnologia como base: elas precisam de apoio para resultados rápidos.

E é por isso que falamos de consultoria, e não apenas de desenvolvimento. As startups de tecnologia sabem bem que é preciso errar rápido, porém, com uma consultoria, grande parte dos possíveis erros já são evitados. O tempo, tão valioso para as startups, é poupado e focado no que mais importa: fazer a diferença para o cliente final e se consolidar.

Neste artigo, reunimos todas as informações que você precisa para saber escolher uma empresa que atenda a sua startup de tecnologia. Você verá:

  • A diferença entre o modelo de trabalho body shop e o outsourcing
  • O que são Fintechs, Health techs e Insurtechs
  • O cenário atual de cada um desses segmentos de startups
  • Como cada tech pode escolher um fornecedor

 Esperamos que o texto te ajude a entender o universo de cada startup, e se você for uma delas, que termine o artigo com segurança para fazer suas escolhas!

A diferença entre body shop e outsourcing

Ambos os modelos falam de terceirização, mas apresentam vantagens para contextos diferentes.

O body shop acontece com a alocação de profissionais de TI terceirizados dentro de equipes da empresa contratante. Essa alocação costuma ser por um período curto, pré-estabelecido.

No body shop, você terceiriza apenas os profissionais e se responsabiliza totalmente por todo o gerenciamento, treinamento e orientações de trabalho dos especialistas.

Você pode escolher body shop se:

  • O seu projeto é muito breve e não compensa contratar novos profissionais para o seu time;
  • Você sente necessidade de ter controle de todas as atividades.

Já o outsourcing vem com uma proposta de terceirizar toda ou grande parte da atividade de tecnologia com uma empresa especializada. O seu parceiro cuidará de todo o gerenciamento do projeto, e deverá prestar contas para que você esteja por dentro de todas as atividades e resultados.

No outsourcing, você pode voltar a sua atenção para outras áreas da sua startup. O parceiro te atualizará constantemente sobre o andamento do projeto, te poupando da preocupação com o gerenciamento do time de tecnologia.

Você pode escolher outsourcing se:

  • Precisa focar em se dedicar às principais atividades da sua startup
  • Deseja um parceiro que, além de entregar tecnologia nas melhores práticas, tenha uma visão de fora para sugerir ainda mais inovação ao seu negócio.

Além disso, enquando o body shop reduz custos de contratação, o outsourcing te livra da necessidade de gastar com uma ampliação do seu espaço de trabalho para alocar os profissionais terceirizados.

No caso do outsourcing, seu objetivo será o de avaliar da melhor forma possível o seu fornecedor. É preciso escolher uma empresa de confiança, que te apresente um profissional como ponto focal para te manter atualizado sobre o projeto com a transparência necessária.

Focamos aqui no outsourcing por ser uma alternativa especialmente interessante para startups. Um bom consultor que trabalhe com outsourcing poderá desenvolver suas plataformas, seus apps mobile e evoluir seus sistemas com muito mais liberdade e criatividade, sem perder a performance de vista.

A seguir, vamos nos aprofundar sobre o cenário de cada tech para aconselhar a melhor avaliação de um fornecedor em cada segmento.

O que são fintechs?

consultoria de software para fintechs

Uma fintech é uma startup focada em serviços do sistema financeiro. Seu nome abrevia “financial technology” (tecnologia financeira).

As fintechs receberam destaque no mercado nacional por serem uma alternativa mais eficiente e de custos mais baixos que os bancos tradicionais.

O cenário das fintechs

Dentre o público da geração millenial, por exemplo, as fintechs são muito mais atrativas na hora de escolher uma instituição financeira. Eles correspondem a 40% da população mundial, e prezam pela qualidade e liberdade financeira. Logo, as fintechs saem disparadas na hora de conquistar a conta do jovem. Veja mais sobre como millennials escolhem instituições financeiras.

A preferência é tanta que, segundo a pesquisa “O mercado das Fintechs” (conduzida pela CNDL), nove em cada dez clientes consideram os serviços das Fintechs iguais ou melhores que os de bancos tradicionais.

Porém, nem tudo é sobre rivalidade: as fintechs e os bancos tradicionais estão se unindo cada vez mais. Isso acontece porque existe um interesse em comum: o open banking.

O open banking (banco aberto) é um novo conceito no mercado financeiro que traz formas de criar serviços mais inovadores e flexíveis. Consequentemente, entrega mais autonomia para os clientes dessas instituições financeiras. Esse conceito está sendo regulamentado pelo Banco Central e deve começar a funcionar no Brasil ainda em 2020.

Para as fintechs, o open banking significa uma oportunidade de ganhar escala e viabilizar seus negócios, que já são impressionantes. De acordo com a Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs), e a consultoria PwC Brasil, 48% das fintechs brasileiras dobraram de tamanho em 2019. Além disso, as fintechs brasileiras estão entre as 100 fintechs mais inovadoras do mundo!

Exemplos de grandes fintechs brasileiras:

O Brasil conta com mais de 500 fintechs, sendo as principais:

Nubank

Operadora de cartões de crédito conhecida por pouca burocracia e acompanhamento de transações por aplicativo.

PicPay

App de pagamentos online que promete descomplicar transferências de valores entre usuários.

Juno

Plataforma que oferece serviços para MEIs, e-commerces, marketplaces, empresas e pessoas físicas em busca de desburocratizar pagamentos.

GuiaBolso

Plataforma de planejamentos financeiros e controle de gastos pessoais.

Vantagens das fintechs

Praticidade de resolver tudo pelo celular

– Menos burocracia para contratar serviços

– Comodidade

– Insenção do pagamento de taxas/tarifas

Desvantagens das fintechs

Risco de ter a conta invadida com a perda ou roubo do celular

– Falta de atendimento pessoal quando necessário

– Inexistência de agências

– Instabilidade do site ou app por depender de internet

– Medo de sofrer crimes virtuais

Consultoria de software para fintechs

Vimos que as fintechs são muito bem recebidas pelo mercado brasileiro e mundial por toda a praticidade que oferecem. E como nem tudo é perfeito, ainda existe o medo do usuário sobre o intangível: tudo que é muito digital passa o medo de ser perdido ou invadido facilmente.

Para que as fintechs continuem escalando e entregando experiências inovadoras ao usuário, é essencial que contem com uma consultoria de software voltada à Transformação Digital e adequada ao máximo de normas e leis de segurança, como a ISO 27.001.

Você é uma fintech? Veja mais detalhes sobre como superar seus desafios além da tecnologia.

O que são health techs?

consultoria de software para heath techs

As health techs são as startups focadas em unir tecnologia aos serviços de saúde. Seu nome abrevia “health technology”, e pode ser traduzido para “tecnologia de saúde”. Bem literal, não?

O cenário das health techs

Segundo a Startupbase, hoje são 353 health techs no Brasil. Ao todo, 46,4% delas estão em fase de tração, enquanto 30% já operam. É um segmento recente, mas com um enorme potencial.

Para se ter uma ideia, só no Brasil os custos de saúde já representam 9% do PIB, com a tendência de continuar crescendo. O também crescente envelhecimento da população é outro sinal da importância das health techs para os próximos anos.

Dados do Sebrae mostram que, no contexto mundial, houve um aumento de 90% dos investimentos em health techs entre 2010 e 2017. A estimativa é que os investimentos continuem crescendo 12% até 2024.

As health techs são focadas em três áreas: prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças. A principal aposta é de que a prevenção será a mais beneficiada no mercado, pois ajuda a equalizar os custos médicos.

Exemplos de grandes health techs brasileiras:

– MedRoom

Focada em realidade virtual para alunos da área de saúde, oferece ferramentas como um laboratório de anatomia em realidade virtual.

– Zenklub

Plataforma para cuidar da saúde emocional, conecta pessoas interessadas em tratamentos psicológicos/terapêuticos. Possui consultório e secretária virtual.

– Memed

Ferramenta de prescrição digital. Por ela, o médico pode encaminhar receitas e informações sobre o tratamento para o celular do paciente por mensagem.

Vantagens das health techs

– Maior acesso às informações de saúde

– Melhor gestão de clínicas, hospitais e laboratórios

– Aproximação entre pacientes e profissionais de saúde

– Tecnologia para atendimento, monitoramento e diagnóstico à distância

Desvantagens das health techs

Demora para agentes públicos aderirem

– Necessidade de adaptação dos profissionais de saúde

– Risco de vazamento de dados sensíveis de pacientes

Consultoria de software para health techs

As health techs são uma aposta segura, mas ainda têm um longo caminho para se estabilizarem e conquistarem o público. Quando falamos de saúde, falamos de pacientes preocupados, rigorosos com os próprios cuidados e até mesmo fragilizados. Também falamos de profissionais exigentes, no caso de plataformas voltadas para os médicos e estudantes de medicina.

Escolher um fornecedor de software é tão delicado quanto o trabalho da health tech. É preciso contar com o apoio de uma equipe especializada que esteja pronta para os desafios sem abrir mão da qualidade. Errar na saúde é grave, então escolha um fornecedor que acerte de primeira. Para ter certeza disso, peça indicadores de satisfação e de erros.

Também é valioso para uma health tech contar com um fornecedor que tenha uma cultura consolidada de UX e DevOps. Com o UX, você saberá que o projeto será desenvolvido com foco na melhor experiência para o usuário final. Já a cultura DevOps garante mais qualidade de tudo o que é desenvolvido, pois o desenvolvimento e o operacional funcionam em sinergia.

Assim como no caso das fintechs, não se esqueça de exigir a ISO 27001. A segurança dos dados de pacientes será um ponto crucial do seu negócio.

Você é uma health tech? Leia mais sobre como health techs podem se preparar.

O que são insurtechs?

consultoria de software para insurtechs

As insurtechs são startups de seguros. O nome deriva de duas palavras em inglês: insurance (seguro) e technology (tecnologia).

Elas surgiram como uma alternativa para toda a burocracia das seguradoras tradicionais. Com a digitalização dos processos, as insurtechs vêm para automatizar as partes mais burocráticas da contratação de um seguro.

O cenário das insurtechs

Estamos em um momento em que a tendência de compartilhar bens (automóveis, residências) só aumenta. A popularidade da Previdência Privada também está em ascensão!

Outra boa notícia para as insurtechs é que o valor percebido de diferentes seguros vem trazendo números positivos.

O valor percebido dos seguros, de 1 a 10:

  • Os seguros automotivos são avaliados em 8,24
  • Os seguros residenciais são avaliados em 8,20
  • Os seguros de vida são avaliados em 8,20

O único segmento com uma avaliação negativa é o de Seguros e Planos de Saúde, com a nota 6,93.

Esses dados trazem para as insurtechs muitas oportunidades. No caso da pontuação negativa dos planos de saúde, por exemplo, isso pode se transformar em um prato cheio para melhorar a experiência do consumidor por meio da digitalização.

O Brasil, conforme pesquisa do Comitê de Insurtechs (Câmara E-net) possui cerca de 78 insurtechs mapeadas. No mundo todo, esse número cresce para mais de 1.500 insurtechs em operação.

A última edição do CIAB FEBRABAN mostra que as insurtechs receberam aportes de US$ 11,2 bilhões (cerca de R$ 42,5 bilhões) entre 2016 e 2018. E com a implantação do modelo “sandbox regulatório” no Brasil, pelo Ministério da Economia, as insurtechs terão a oportunidade de atuar no mercado com autorização temporária por 6 meses para testar produtos ou serviços. A hora das insurtechs é agora!

Exemplos de grandes insurtechs brasileiras:

– Onli

Plataforma para o usuário contratar um seguro de vida com facilidade, sem precisar contatar pessoas. Simula, customiza, contrata e emite apólice em minutos.

– Mobisell

Plataforma para operadoras, administradoras e corretoras de planos de saúde encontrarem potenciais clientes digitalmente.

– Segurize

Plataforma de seguros online para pessoas indicarem seguros aos conhecidos. Facilita e agiliza a venda para corretoras, e traz renda adicional para quem indica.

Vantagens das insurtechs

Open Insurance: com o uso de APIs, as empresas podem contratar diferentes serviços de seguradoras diferentes com simplicidade.

– Abertura para indicações: o cliente pode indicar um amigo para fazer um seguro diretamente com a empresa e ganhar uma porcentagem sob o negócio fechado.

– Fim da zona de conforto das grandes corporações de seguros

– Mais transparência e fôlego para focar em inovação, já que não existe o foco na venda presencial

Desvantagens das insurtechs

– Tempo de adequação dos corretores para inovações como inteligência artificial

– Com a Lei Geral de Proteção de Dados, algumas estratégias como a avaliação do perfil e comportamento do segurado podem enfrentar desafios.

Consultoria de software para insurtechs

De todas as startups, as insurtechs são as que mais precisam de uma consultoria de software que aponte caminhos inovadores. Elas vêm de um segmento muito tradicional e precisam se reinventar a todo momento para não se tornarem uma decepção ao usuário que busca praticidade.

Porém, uma dica importante na hora de escolher o fornecedor de software é: não se convença apenas pelo discurso inovador. Peça indicadores e cases que provem uma inovação com usabilidade e propósito.

Para as insurtechs, não basta que o fornecedor seja um grande especialista em tecnologia. É preciso que os valores culturais das empresas estejam alinhados para entregar segurança, praticidade e transparência aos usuários.

Conclusão

Olhando atentamente para o cenário dos segmentos de startups, trouxemos dicas para você que é fintech, health tech ou insurtech encontrar o melhor fornecedor de consultoria de software para techs.

Esperamos que o artigo traga insights para a sua atuação no mercado, e para uma expansão muito mais segura com o outsourcing na hora de desenvolver suas soluções de software.

Quer saber mais sobre desenvolvimento de software com normas de segurança, UX, DevOps e foco total no seu objetivo? Saiba mais sobre a DB1 Global Software!

Este post tem 0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top