As Pragas do Teste de Software – Parte 1

Segundo James A. Whittaker, existem as chamadas “Pragas do Teste de Software”, que resumem problemas vividos no cotidiano de testers. Algumas delas são: 

  • A praga da repetitividade (The plague of Repetitiveness) 
  • A praga do tédio (The Plague of Boredom) 
  • A praga da amnésia (The Plague of Amnesia) 
  • A praga da casa nova (The Plague of Homelessness) 
  • A praga da cegueira (The Plague of Blindness)

Hoje, falaremos um pouco sobre as 5 pragas acima. Em breve, teremos aqui uma parte 2 com as outras duas Pragas do Teste de Software. Vamos lá? Leia mais

Principais comandos de Docker: Usando containers no desenvolvimento de software

Ao desenvolver uma aplicação, torná-la acessível para colegas de equipe e para o cliente pode se tornar um desafio. Afinal, na sua máquina funciona, mas e no Sistema Operacional de quem precisa testar? Pois é, para resolver comportamentos inesperados que geram gargalos no projeto, surgiu o conceito de Container e o Docker.

O que são Containers?

Containers compartilham de um mesmo Sistema Operacional, diferente das tradicionais VM’s (Virtual Machines, ou Máquinas Virtuais) que necessitam de enormes capacidades de disco e memória para rodar diversos SO’s. Um container isola recursos e permite uma comunicação mais fácil entre diferentes containers. Assim, basta que o outro usuário tenha o Docker instalado para acessar sua aplicação em seu container.

Saiba mais sobre o surgimento do conceito de Container, além de DockerFile e Docker Compose nesse artigo de Larissa Roder.

Principais comandos de Docker: Ciclo de Capacitação gratuito!

Quer entender mais sobre o Docker e aprender a começar?  O desenvolvedor Pedro Mázala apresentou um Ciclo de Capacitação em formato de vídeos para explicar:

  • Os problemas enfrentados sem utilizar containers
  • O diferenciar de criar aplicações containerizadas
  • As desvantagens de Virtual Machines
  • Como funcionam Containers na prática
  • O uso de imagens
  • Como personalizar sua imagem
  • Como aplicar Docker em produção
  • Os principais comandos de Docker

Leia mais

Lightning Talk – Introdução ao SAP HANA

Afinal, o que é o SAP HANA? Ao pesquisar essa pergunta no Google, você encontrará a informação de que é um banco de dados in-memory, colunar e criado pela SAP. Porém, é muito mais complexo do que isso!

No Lightning Talk ministrado por Marcos Dias, você entenderá melhor o que é e como funciona o SAP HANA.

Confira tudo o que você aprenderá na Introdução ao SAP HANA:

  • O que é uma base de dados
  • Os dois tipos de organização de bases de dados – Tabelas (OLTP) e Colunar (OLAP)
  • O que é realmente o SAP HANA – Seu desenvolvimento, seus componentes e modos de uso
  • Benefícios para as decisões estratégicas
  • Estrutura da plataforma
  • Como é possível colocar a base inteira na memória

Assista ao Lightning Talk – Introdução ao SAP HANA

Mindfulness: é possível encontrar a paz no meio do caos?

Caos! Muitas pessoas percebem a vida adulta como um caos: estudar, trabalhar, cuidar da casa, cuidar dos filhos, cuidar do relacionamento e pagar “boletos”. A nossa vida é realmente agitada, o caos produz muito estresse e o estresse atrapalha nosso desempenho social, profissional e nossa saúde física e emocional. 

Talvez você esteja pensando: “Tudo isso eu já sei, mas eu vou fazer o quê? Preciso trabalhar para pagar os tais boletos!”. Uma das estratégias indicadas pela ciência para que possamos lidar com o estresse e ter uma vida mais plena e feliz é praticar MINDFULNESS (Atenção Plena). 

O que é Mindfulness e como praticar

Mindfulness nada mais é do que prestar atenção no seu presente, nas suas reações corporais, ou seja, em você. Por meio de meditações simples você pode treinar esse estado de atenção. Dentre essas meditações simples e rápidas está a meditação de um minuto:  Leia mais

Lightning Talk – CapivaraJS: Um framework para criação de componentes híbridos

Você já conhece o CapivaraJS? É o framework 100% brasileiro para criação de componentes!

Embora existam frameworks do tipo, os componentes criados por eles tendem ao isolamento em determinada tecnologia. Isso torna a migração mais complexa. Saiba o que faz o CapivaraJS único:

Diferenciais

É um framework híbrido gratuito de desenvolvimento. Seu objetivo é tornar componentes mais independentes de tecnologias de mercado como Angular, ReactJS, Vue.js e entre outros, além de complementar essas tecnologias. Ele é um facilitador que automatiza a estruturação básica na criação de componentes. Assim, o desenvolvedor se dedica ao que realmente interessa!

Aqui na DB1 já utilizamos o framework. Para Ilson Rezende, presidente da DB1, “o grande diferencial é que não está preso a uma biblioteca Java Script da moda. Com o CapivaraJS você faz uma vez e roda em todos. Ele possibilita criar componentes híbridos que são 100% compatíveis com outros frameworks do mercado”, completa Rezende.

O framework é totalmente personalizável e foi desenvolvido com o suporte da startup paranaense Gumga. Por isso, convidamos Matheus Miranda de Almeida, da Gumga, para explicar um pouco mais sobre como o CapivaraJS foi criado e como seus componentes se mantém hoje!

Assista o Lightning Talk para saber como funciona o CapivaraJS!

Em menos de 10 minutos você conhece as funcionalidades do framework. Foi feita uma demonstração de componente escrito em CapivaraJS rodando em Angular, para melhor compreensão da ferramenta. Além disso, você vai descobrir a origem do nome “Capivara” e outras curiosidades!

Você pode ler os primeiros passos para a instalação do framework aqui.

Se você já desenvolve com o CapivaraJS, comente sua experiência! Caso tenha sido a primeira vez que ouviu sobre o framework, conte também suas impressões abaixo.

Mestre dos Códigos: aprendizado técnico gamificado

O Mestre dos Códigos é um sistema de incentivo à capacitação de nossos mais de 120 desenvolvedores aqui na DB1 Global Software,  baseado em práticas de gamificação. A inspiração veio de escoteiros, que usam distintivos de acordo com as especialidades adquiridas como exemplo e fonte de inspiração.

Lançado em maio de 2017, o Mestre dos Códigos oferece um conjunto de atividades práticas em desenvolvimento de software que atestam os níveis de conhecimento de nossos colaboradores nas linguagens .Net, Arquitetura de Software, Java, JavaScript, PHP, SQL e Delphi, chamados Territórios.

Como funciona o Mestre dos Códigos

O desenvolvedor participante deve realizar 15 atividades para cada território. Cada atividade é enviada para aprovação do Comitê Técnico, comporto por colaboradores da DB1.

A primeira tarefa concluída com sucesso dá direito ao cordão de crachá do jogo, que diferencia o colaborador dentro da empresa.

A partir daí o participante conquista um novo nível a cada 5 (cinco) atividades completadas e aprovadas para receber as insígnias de Escudeiro (ao realizar 5 atividades), de Cavaleiro (ao realizar 10 atividades) ou de Mestre (completando as 15 atividades).

Objetivos da gamificação

“O modelo de gamificação estimula até mesmo quem não está mais em uma área técnica. Mais do que ter o reconhecimento, o legal do projeto é servir de referência para os mais novos, que podem facilmente identificar quem na empresa é referência em determinado assunto”, afirma Cassio Serea, diretor de Shared Services e CFO, que já recebeu o cordão por ter concluído sua primeira tarefa.

Após um ano de funcionamento, o Mestre dos Códigos recebeu mais de 70 inscrições. Colaboradores de outras áreas também são livres para participar e demonstram grande interesse em aprender mais sobre desenvolvimento de software.

Lightning Talk – A minha experiência com a Alexa

Você conhece a Alexa? A assistente virtual da Amazon.com é uma das tecnologias que chamam mais atenção hoje, por possuir inteligência cognitiva para atender comandos de voz. No caso dessa assistente, em especial, temos algumas polêmicas como o fato da assistente rir repentinamente para os usuários. Isso desperta muita curiosidade sobre como é, de fato, utilizar a Alexa no cotidiano.

Alexa, assistente de voz com inteligência cognitiva da Amazon.com

Como um usuário americano de 72 anos interage com a assistente virtual Alexa?

Para entendermos melhor como a assistente de voz funciona, convidamos o usuário Bill Whitake para contar sua experiência. Bill é um aposentado americano de 72 anos, ex-integrante da Marinha dos EUA e reside no Brasil há 2 anos. Já participou de vídeos com o Tinbot e é primo do ator George Clooney!

Usuário idoso interagindo com assistentes virtuais

Bill Whitake e Tinbot

E falando em Tinbot, temos nesse Lightning Talk a participação de Marco Diniz, desenvolvedor do robô assistente, interativo e programável. Marco trará a explicação técnica sobre a Alexa, esclarecendo tudo o que a assistente de voz é capaz de fazer com sua inteligência cognitiva.

Assista ao Lightning Talk para conferir esse bate-papo!

Confira a experiência do usuário com a assistente de voz da Amazon.com, e veja como a tecnologia influencia o comportamento de um idoso.

A conversa com Bill foi realizada em inglês, mas não se preocupe! A conversa foi mediada para que todos possam entender.

Assista abaixo:

E aí, você gostaria de interagir com um assistente virtual como a Alexa? Deixe nos comentários o que achou dessa conversa!

 

O que é Comunicação Assertiva – Alcance objetivos sem prejudicar relações

Desde que começamos a trilhar o caminho até a resiliência, falamos sobre as habilidades necessárias para aprendermos a lidar melhor com os desafios da vida: atenção positiva, identificação e expressão dos sentimentos, práticas de relaxamento, gratidão… Hoje o nosso texto será sobre comunicação assertiva.

O que é Comunicação Assertiva?

Comunicação é uma habilidade que exige que o emissor e o receptor da mensagem tenham real e total compreensão dela. Por isso, a comunicação deve ser clara e objetiva.  O termo assertividade envolve a afirmação dos próprios direitos e expressão de pensamentos, sentimentos e crenças de maneira direta, honesta e apropriada que não viole o direito das outras pessoas. Leia mais

Criando grandes cases para o ROI de User Experience (UX)

Você sabia que User Experience (Experiência do Usuário/UX) pode ser mensurado e mostrar retorno sob investimento (ROI)? Mesmo que o cálculo do ROI seja desafiador por si só, é perfeitamente possível e muito valioso para justificar o investimento em UX.

Abaixo, trouxemos números interessantes para serem considerados na hora de construir seu case. As informações foram baseadas no infográfico Making a Strong Business Case for The Roi of UX, da Experience Dynamics, empresa americana de consultoria em UX.

User Experience (UX) melhora a eficiência do desenvolvimento

Em fábricas de software, a velocidade é imprescindível. Atividades de UX podem reduzir em 50% o desperdício de tempo no desenvolvimento. Isso acontece porque elas ajudam a definir requisitos de usabilidade logo de início, prevenindo o retrabalho.

O tempo de desenvolvimento, por si só, já é reduzido em cerca de 33% a 55% quando o usuário é envolvido no processo. É assim pois a tomada de decisão e a priorização de atividades dos desenvolvedores ganha mais clareza. Leia mais

Definidos os Campeões da ‘Copa dos Agasalhos’: mais de 4 mil peças foram arrecadadas

Com temperaturas na casa dos 16 graus em Maringá, no Paraná, nada melhor (e necessário) que ajudar a quem precisa. Por meio da campanha do agasalho com o tema da Copa, que teve início em 15 de março, meses antes do frio chegar, a DB1 Global Software, multinacional de tecnologia sediada em Maringá, bateu todos os recordes de arrecadação por meio de uma disputa saudável entre times formados por colaboradores da empresa.

A “Copa dos Agasalhos” reuniu muito da missão da DB1: desenvolver as melhores soluções em TI, criar e evoluir as práticas de gestão da organização no aspecto socioambiental, envolvendo e engajando os colaboradores, incentivando a competitividade e, claro, atendendo a sociedade organizada em parte de suas necessidades. Leia mais